Criando Playbooks com Ansible

The_playbookA parte chata de quando se reinstala o sistema operacional ou cria uma máquina virtual é instalar e configurar tudo de novo. Cada programa, cada truque que foi feito no computador anterior terá que ser refeito no novo. Claro que, no caso da máquina virtual, você pode pode usar imagens de seu estado. Ainda assim, em algum momento você terá que repetir seu trabalho.

Para resolver este problema, coloquei minha preguiça de lado e comecei a criar meus próprios playbooks do ansible. Escolhi o ansible porque, ao contrário do puppet e chef, você consegue executá-lo em um computador remoto sem um serviço dedicado rodando no destino, tudo via SSH.

O meu playbook, atualmente, serve para configurar os meus computadores de trabalho (casa e escritório). Ainda estou aprendendo a usar o ansible e não sigo “à risca” as melhores práticas, mas tento manter tudo o mais simples possível — O que não é difícil, visto que é tão simples quanto editar um arquivo YAML. Meu playbook não contempla todos os softwares que eu uso, mas deve chegar lá em algum momento no futuro.

Saber que minha configuração não se perderá com uma simples troca de computador tem me estimulado a fazer uma série de micro-otimizações. Até agora estou gostando muito dos resultados e me divertindo com o processo. Se você cansou de ficar se repetido na configuração dos seus computadores (desktops e principalmente servidores), recomendo muito que comece a escrever seus próprios playbooks.

Vim: Por Onde Começar?

Já falei um pouco sobre como eu comecei com vim neste blog, mas isso foi no longínquo ano de 2009! É natural que nesse tempo muito tenha mudado. Como sou um fanboy grande entusiasta do vim, me perguntam com frequência por onde começar. Este post tem o objetivo reunir boas referências para iniciantes, de forma que eu sempre possa passar o link para ele quando alguém me perguntar — Talvez eu até venha a adicionar novas referências aqui com o tempo.

Leia

Da última vez, recomendei o vimtutor para leitura. Apesar de bem completo, aprender direto no terminal pode intimidar alguns. Sendo assim, ultimamente tenho recomendado o post Learn Vim Progressively. Não é um post muito longo, e já inclui alguns comandos mais avançados.

Assista

Em 2010 o Fabio Akita decidiu fazer alguns screencasts e vender através do seu blog. Dentre eles, um sobre o vim. Posteriormente ele decidiu liberar todos eles gratuitamente:

Screencast: Começando com Vim

Fui um dos que compraram e fiquei bem satisfeito com o conteúdo na época. Como é difícil convencer alguém que está começando a já sair desembolsando algum dinheiro, achei ótimo que o video se tornou gratuito.

Jogue

Direto dos comentários do Learn Vim Progressively, descobri o jogo Vim Adventures. Ao que parece ele não vai te ensinar a usar o editor, mas vai ajudar a se familiarizar com os movimentos de tecla, comandos e modos.

Você também pode encontrar algumas configurações muito bem vindas no plugin vim-sensible, que tenta reunir as configurações que deveriam ser padrão. Lembre-se também que você pode usar o comando help em qualquer comando (:help <comando>) é um bom tira-dúvidas para todas as horas.

Veja também a configuração do vim que eu uso no dia-a-dia. Logo de cara é uma lista de plugins muito úteis.

Se ainda estiver complicado, lembre-se do comando:

:help!

O sonho do domínio próprio

1717425332_a0a0e87ef1_oÉ com grande satisfação que estou inaugurando o novo domínio do blog. Agora, para acessá-lo você só precisará digitar o endereço: renanivo.com. A vantagem não é só o endereço mais simples de acessar, mas também, agora o blog utiliza o wordpress!

Esta mudança faz com que eu tenha à disposição diversos plugins e temas. Além disso, só pelo blog estar na sua hospedagem própria, agora é possível hospedar arquivos para download (aguarde por códigos-fonte em breve).

Não se esqueça de visitar e assinar o novo RSS

imagem: Liquid Lucidity